Chef Anselmo Vicentini

18
mai

foto anselmo

Chef Anselmo é Pai da Gabriella e marido da Solange e sempre foram apaixonados por culinária. É formado em Administração de Empresas, com pós-graduação em Gestão de Pessoas. Trabalhou no meio corporativo por 25 anos, mas sempre intuiu que deveria fazer algo ligado à culinária. Em 2011, fez o curso de “Capacitação de Chef Internacional com uma extensa carga horária, além de vários outros cursos livres de aprimoramento (carnes, peixes, massas, cozinha japonesa, Hambúrguer Gourmet, cozinha asiática, entre várias outras) em diferentes escolas. O curso mais recente foi o de Planejamento e Administração de Restaurantes e Bares na instituição SENAC, que o motivou a ir atrás do seu sonho e culminou o projeto BuraCo Food Truck, onde desenvolveu receitas especiais do tradicional lanche “buraco quente”, do qual foi sócio e proprietário até se mudar para New Jersey e começar novos desafios.

Anselmo cresceu vendo sua avó paterna cozinhando em fogão a lenha no sítio da família, onde preparava deliciosos pratos típicos italianos. Com o casal de caseiros do sítio, aprendeu pratos da culinária mineira, além de ter tido a oportunidade de aprimorar seus conhecimentos em uma experiência profissional. Em 1991, morou durante alguns meses na Espanha e aprendeu diversos pratos típicos do litoral e da gastronomia Basca. Tudo ao redor da cozinha o fascinava, e a fusão dos ingredientes unidos num prato podiam despertar alegrias e lembranças naqueles que o degustavam. Começou arriscar-se nas panelas aos 13 anos de idade, e quando cozinhava para ele e para alguns amigos que passavam as férias no sítio , inventava alguns pratos, juntando um pouco de tudo que havia aprendido olhando os outros fazendo e arriscava mudanças que instintivamente que para o chef parecia possível – “pura alquimia”. Outro fator crucial para sua paixão pela comida, foi quando seus pais começaram a trabalhar com culinária como meio de sobrevivência (marmitex e congelados) e ele os ajudava muito. Era um prazer enorme escutar as pessoas elogiando a comida que os seus pais faziam.

Sempre teve o apoio da família, se não fosse o incentivo deles com certeza ele estaria frustrado realizando outro trabalho sem ter o calor do fogão e a dinâmica da cozinha. Em 2011 foi motivado pela sua esposa e amigos a se especializar no ramo da gastronomia, aprendendo conceitos e técnicas para melhor administrar e desenvolver suas invenções, no qual, gostava desde pequeno.

O chef Anselmo está trabalhando atualmente no EUA como Personal Cooking para alguns brasileiros e, mais recentemente, também americanos. O termo “cozinha brasileira” fora do Brasil  encanta qualquer estrangeiro, seja por ele ter ouvido falar ou até mesmo já provado o maravilhoso tempero e sabor da nossa comida. Procura em cada prato mostrar um pouco da cultura brasileira por meio de receitas da gastronomia mineira, baiana, capixaba, paulista, entre outras. Os sabores e aromas da cozinha brasileira são influenciados pelos vários países por isso acredita que seja fácil para os estrangeiros gostarem da nossa comida. Se sente como um professor dando aula de história através das panelas e isso o fascina.

Para o chef gastronomia é a forma de unir a paixão pela cozinha com a oportunidade de negócio, e isso realmente o faz realizado, apesar da exaustão física na maioria das vezes. Diz isso porque é muito diferente você cozinhar para sua família ou para um casal de amigos e cozinhar em um restaurante ou evento que são para várias pessoas. A paixão, porém, e o sentimento que se coloca em cada pitada de tempero ou alimentos dentro da panela, esses sim é o mesmo!!! Vê na gastronomia um enorme poder de reunir culturas, sabores, ingredientes e, principalmente, “pessoas”. Não se vê fazendo outra coisa. Há menos de cinco meses no país (EUA), iniciou um trabalho como Personal Cooking, onde vai até a casa da pessoa para ensina-la a cozinhar.

No projeto de 2015 ele quer ampliar o trabalho como Personal Cooking disseminando mais a cultura gastronômica brasileira aqui nos Estados Unidos e, para 2016, quem sabe abrir um restaurante.

Mensagem do chef:  Quem entra neste mundo é porque gosta e isso é tão fascinante que não tem como retroceder. Nunca a gastronomia esteve tão em evidência, alguns chamam até de modismo, mas quem escolhe essa profissão é porque gosta. A paixão pela cozinha em primeiro lugar e a remuneração é consequência. Como já citei é a união da paixão com a oportunidade de negócio, então se a pessoa sentir esse estalo, essa emoção, minha recomendação é: “trabalhe duro e vá fundo”.

polenta

Ninho de polenta com Mini Almôndegas

Ingredientes:

ü  Polenta

• 1 colher de sopa de azeite extra virgem

• 1 colher de manteiga

• 3 e 1/2 xícaras de polentina

• 1/2 cebola

• 1 dente de alho

• 2 litros de caldo de legumes

ü  Almôndegas

• 1kg carne moída ( de sua preferência )

• sal a gosto

• 1/2 cebola picada

• 2 dentes de alho

• 3 colheres de farinha de rosca (preferencialmente Panko)

• 2 colheres de Shoyu

ü  Molho tomate

• 1/2 kg tomate para molho

• ou molho de tomate pronto

Modo de preparo da polenta

Em uma panela, aqueça o azeite com a manteiga e doure a cebola e alho. Retire do fogo, acrescente a polentina e o caldo, mexer bem até dissolver toda a polentina. Leve ao fogo médio, mexendo sem parar até engrossar bem. Deixe descansar na panela por uns 3 minutos e em seguida coloque numa travessa ou refratária e deixe esfriar até que fique numa consistência firme. Com um cortador redondo, faça os moldes na polenta e com uma colher de sobremesa ou um boleador comece a cavar até formar um ninho.

ü  Modo de preparo das Mini Almôndegas

Misture todos os ingredientes da carne num bowl até ficar bem homogêneo. Unte as mãos com um pouco de azeite e comece a fazer as bolinhas das almôndegas. Pré aqueça o forno a 280 graus por 10 minutos e leve as almôndegas até ficarem douradas.

Montagem:

Preencha o ninho da polenta com as mini almôndegas, regue com o molho de tomate e polvilhe com queijo parmesão (ou de sua preferência) em cima.

Grau de dificuldade: fácil

Tempo de preparo: aproximadamente 30 minutos